CNH Social – Carteira de Motorista Grátis

Você já ouviu falar na CNH Social?

Para entender como ela funciona, basta imaginar todo o processo custeado pelo Governo e você atendendo às aulas do Detran sem preocupações num horário pré-definido.

Seja pela independência de locomoção ou para trabalhar com aplicativos de viagem como o Uber ou o 99Táxi, muitas pessoas buscam sua própria licença ou CNH.

No entanto, em virtude do alto custo, muitas pessoas também acabam desistindo ou juntando um dinheirinho por muito mais tempo.

Quem já procurou saber o custo total de início e finalização do processo de aquisição da primeira habilitação pode ter se desapontado.

Mas, sendo esse seu caso ou não, que tal apostar numa oportunidade sem precedentes que talvez venha pra ficar?

CNH Social – Carteira de Motorista Grátis (Foto: Divulgação Detran).

Quanto custa tirar minha primeira habilitação?

Se sua pesquisa começou agora, lamento desapontar. Só os custos ligados à auto-escola somam uma média entre R$1000,00 a R$1400,00 reais.

Mas, ainda não chegamos no clímax. Esse valor pode ser dividido entre 4 e 12 vezes a depender da região e/ou acréscimo de juros ou não.

Vale a pena negociar com as escolas em relação às aulas, mas, antes mesmo de pensar na autoescola, você precisa pensar no Detran.

Muita gente não sabe, mas, tudo começa lá.

Você precisa dar entrada no processo, pagar uma taxa no Detran e fazer os exames antes mesmo de ter aulas as teóricas.

Tomando Alagoas como referência, o valor da taxa do Detran é fixado em R$192,10.

No entanto, somam-se a esse valor também o Exame Clínico Médico (R$78,00) e o Exame Psicológico (R$93,00). Antes de chegarmos na autoescola, a soma já está fixada em R$363,10.

Supondo, ainda, que você passe em todos os testes e tenha condições de iniciar suas aulas, você pode ter custos adicionais.

Esses custos podem ser referentes a reposições de aulas perdidas – onde a autoescola pode cobrar por fora entre R$30,00 a R$100,00, o quanto lhe parecer justo – ou mesmo aulas ligadas ao Detran.

Antes de começar as aulas práticas, é preciso passar por uma aula de simulador que pode sair entre R$100,00 a R$200,00 ou mais.

Ainda, algumas aulas práticas são supervisionadas pelo Detran através de uma câmera fixada no veículo. E, claro, esse serviço não é gratuito e pode sair entre R$50,00 a R$120,00.

E, por último e não menos importante, os testes também podem ser pagos, a depender da escola. Algumas incluem a primeira tentativa no pacote, mas, as demais geralmente são pagas ao Detran no formato de um boleto de R$74,00.

Então sim, sai muito caro fazer tudo isso sozinho.

A CNH Social pode ser uma opção?

Para o bem ou para o mal, o Governo encara que cada vez mais crescem as oportunidades relacionadas a ter ou não a CNH.

Por isso, a proposta da CNH Social inicialmente passou a ser para famílias de baixa renda, até que se estabeleça um programa fixo para todos, pelo menos.

No entanto, desde que a ideia apareceu, muitas pessoas demonstraram interesse e as vagas se tornaram muito concorridas.

Mês passado, inclusive, o Governo do Estado de Goiás aprovou oito mil habilitações sociais. Mas, o que deveria ser um “presente” acabou se tornando um pesadelo para a Secretaria de Desenvolvimento Social.

No primeiro dia de inscrição, a Prefeitura recebeu impressionantes vinte mil aplicações e, com esse evento, notou-se a necessidade de criar critérios um pouco mais rígidos de qualificação. 

Confira a matéria aqui!

Quem pode pedir pela CNH Social?

Naturalmente, sendo uma oportunidade de ouro, nem todo mundo tem acesso. Por isso, os requisitos mínimos são:

  • Ter entre 18 e 25 anos;
  • Pertencer à uma família de baixa renda;
  • Ter cadastro no CadÚnico (obrigatório); e
  • Ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) no ano vigente ou anterior (a nota pode ser utilizada como critério de desempate).

Ainda, pelo processo não ser parecido com a retirada de uma primeira habilitação convencional, ele foi dividido em três modalidades, a fim de caracterizar o público-alvo:

  • Urbana: destinada para candidatos acima dos 21 anos com ensino fundamental completo e residentes em área urbana;
  • Rural: para candidatos acima dos 21 anos com ensino fundamental completo e residentes em área rural portadores da Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); e
  • Estudantil: para jovens entre seus 18 e 25 anos que tenham feito o ENEM no ano anterior ou vigente e finalizado o Ensino Médio em escola pública.

Como faço pra me inscrever?

Geralmente, esse tipo de coisa fica a cargo da Prefeitura, que deve fazer divulgações entre o fim e o início do ano.

Como recentemente, espera-se que as inscrições sejam feitas online pelo site oficial da Secretaria do Estado ou pelo Detran correspondente, mas, essas ainda são questões a se discutir.

Até agora, sabe-se que essa opção é viável apenas nos seguintes Estados: Acre, Amazonas, Bahia, Maranhão, Pernambuco e Sergipe. Recentemente, também em Goiás.

Mas, espera-se que em breve o programa se amplie e alcance o resto do público brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.