Imposto de Renda 2020 – Consulta Online

De maneira simplificada, o Imposto de Renda é uma taxa governamental que incide em cima daquilo que você ganha anualmente.

O objetivo dele não é só ter controle de dados sobre a população, mas, arrecadar dinheiro para diversos fins.

Entre março e abril, muitos brasileiros se preparam para enfrentar o “Leão”, animal adotado – inclusive – como símbolo na década de 70.

Mas, é no fim do ano que lápis e caneta são utilizados para “lembrar” de tudo aquilo de importante e somar todos os recibos.

Conceito de contabilidade de contabilidade de planejamento de orçamento Foto Premium
Imposto de Renda 2019-2020 – Consulta Online (Foto: Divulgação Freepik).

Como funciona o Imposto de Renda?

O Imposto de Renda é um tributo pago ao governo todos os anos que varia de acordo com os ganhos declarados.

Isso quer dizer que é uma taxa variável que é cobrada de acordo com o seu rendimento bruto e levando em consideração as baixas.

Naturalmente, quem recebe mais paga mais e quem recebe menos paga menos ou pode ser até mesmo isento.

Embora sejam considerados como rendimentos tributários os salários, alugueis, prêmios e investimentos, na prática, ele se divide em:

  • No Imposto de Renda de Pessoa Física (IPRF); e
  • No Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IPRJ).

Cada categoria funciona de maneira diferente e tem taxas incidentes sobre valores diferentes. Mas, ambas possuem critérios de isenção que podem ser aplicados em situações diferentes.

Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF)

O IRPF incide não só nos ganhos de indivíduos dentro do país, como também no exterior.

Através dele, todo o ganho que é conseguido no Brasil por uma pessoa naturalizada ou originalmente brasileira, é somado e levado em consideração.

Logicamente, as alíquotas diferem de acordo com a renda e, por isso, muitas pessoas acabam isentas da taxa.

Mas, por via de regra, quem ganha acima ou numa média de R$28.559,70 por ano, isto é, R$2.379,98 ao mês, deve prestar contas com a Receita Federal.

Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ)

Nesse cenário, a situação já é outra e se enquadram aqui apenas empresas brasileiras portadores de CNPJ.

Aqui, a alíquota também incide sobre o lucro bruto anual da empresa.

No entanto, desde 1996 ficou fixado que devem ser pagos 15% de todo o rendimento bruto + uma taxa adicional de 10% em lucros acima de R$20.000,00.

É por isso que, muitas vezes, algumas empresas cobram o valor do seu produto + uma base de 30% ou impostos ao fim da compra para diferentes entidades.

Como resultado, não há “preço justo” e muitas pessoas acabam recebendo um produto com qualidade não condizente ao valor pago, por exemplo.

Como empresa, a sonegação pode ser um caminho?

Para quem empreende e pensa em lucratividade, a política brasileira pode ser um empecilho.

Ela praticamente te força a virar uma espécie de “sócio” através da prestação de contas e leva uma parcela considerável de todos os negócios funcionando em território nacional.

Dito isso, é muito mais difícil uma empresa conseguir “sonegar impostos” do que uma pessoa física, por exemplo.

Além disso, enganar a Receita Federal é considerado crime e leva o proprietário ou responsável financeiro para trás das grades num período entre 2 e 5 anos.

Se um erro foi cometido ou se você tentou começar com essa ideia, volte atrás. Não vale a pena. Erros quando contabilizados são acrescidos de multa e a sonegação não acaba muito bem.

Seja amigo do Leão – Declare online

Independente do seu caso (IRPF ou IRPJ), é importante colocar tudo na ponta do lápis e fazer retificações sempre que possível.

“Andar na lei” pode ser um pouco complicado, mas, nada não adaptável. Em caso de excessos, você também não deve se preocupar: comprovando o problema, basta entrar em contato para ser restituído.

Mas, vale lembrar: se o processo de restituição não for comprovada, mas, sim um caso de fraude, é multa.

Fazer a declaração online é muito simples e você começar esse processo clicando aqui e baixando o programa disponibilizado pela Receita Federal.

Através dele, você consegue preencher todas as informações necessárias – e pedidas pela Receita para a construção ou cálculo do IRPF e do IRPJ – sem problemas.

Siga o seguinte:

  • Reúna identidade, CPF, comprovante de residência e título de eleitor.
  • Informe rendimentos de empregadores, bancos comerciais ou corretoras em caso de investimentos. Se possível, pegue um extrato da coisa toda.
  • Baixe o programa.
  • Escolha o modelo da sua declaração (IRPF ou IRPJ).
  • Envie o saldo dentro do prazo (março e abril).
  • Receba correções do projeto, corrija e reenvie mais uma vez, até que esteja tudo certo.

Através do próprio programa o cálculo é realizado e, se constatado renda abaixo do esperado (IRPF) ou solicitado algum tipo de isenção (IRPJ), você pode acabar não pagando o Imposto de Renda.

Além da declaração, posso consultar o Imposto de Renda Online?

Pelo mesmo programa fornecido pela Receita Federal, é possível verificar o extrato de todos os pagamentos realizados até agora.

É por esse resumo que, geralmente, a Receita se baseia para encontrar irregularidades ou acompanhar o desempenho da sua empresa.

Constatada a necessidade de restituição, você pode acompanhar o processo por aqui, onde serão fornecidos dados do valor total, número de parcelas e meio de recebimento.

Mas, atente: benefícios também entram nas declarações, apesar de serem considerados “ajuda de custo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.