FIES 2020 – Cronograma e Vagas

Quem pensa em ensino superior depois do ENEM, geralmente se depara com oportunidades como o ProUni, o SISU e o FIES.

Pelo pouco que se conhece, um deles se destina à rede pública (SISU) e os outros dois para redes de ensino privada, mas, embora possuam requisitos semelhantes, diferem absurdamente um do outro.

Diferente dos outros dois já abordados aqui no blog, o FIES ou o “Fundo de Financiamento Estudantil” é uma vertente que ajuda alunos de diversas origens a “pagarem com o próprio suor”, mesmo que de forma tardia, instituições particulares.

 

 

Resultado de imagem para FIES 2020"

FIES 2020 – Cronograma e Vagas (Foto: reprodução do Programa de Fundo de Financiamento Estudantil, pelo Ministério da Educação)

 

“Fazer caber no bolso” é praticamente o lema e o objetivo é criar parcelas que possam gerar sustentabilidade financeira àquele que quiser contratar o programa.

Embora o governo ofereça outros programas para ingresso na rede pública, o FIES acaba sendo o programa educacional mais falado e requisitado pela dificuldade de entrada em instituições públicas e maior versatilidade e flexibilidade de ingresso em instituições de rede privada.

E, agora, muito se fala num “Novo FIES” que se distribui em duas modalidades com as mesmas características do antigo. Vamos conhecer?

 

Como funciona?

O financiamento estudantil nunca foi muito difícil de conseguir e muito menos uma alternativa com muitas falhas.

No entanto, acabou se tornando uma coisa dependente de critérios como instituição onde se quer prestar, vagas disponíveis e concorrência.

Ainda assim, é o programa mais bem falado e procurado por todos os universitários.

Respeitando a modalidade semestral dos cursos, acontece duas vezes ao ano, mas, a inscrição não é imutável.

Uma peculiaridade é que o candidato que já usufruía do sistema pode acabar tendo que renovar o contrato em algum momento em desrespeito das regras, independente do motivo.

 

Quais são as regras do FIES?

Desde sua criação, o programa sofreu muitas alterações. Não só no prazo, como também em todo o sistema visando acabar com inadimplência e selecionar pessoas necessitadas de verdade.

Mas, com o passar do tempo, o foco também se estendeu a pessoas com renda estável, dadas as condições financeiras de cada um.

Antigamente, o programa regia que o máximo era ter uma renda per capita de até 3 salários mínimos. Mas, com o “novo FIES” de 2020, já não existe teto máximo, mas, uma opção de financiamento junto a outras instituições como bancos.

Mas, de modo geral, poderão se inscrever e participar do FIES:

  • Quem prestou o ENEM alguma vez de 2010 pra cá;
  • Jovens que fizeram uma média de até 450 pontos no ENEM;
  • Quem nunca zerou a redação ou, pelo menos, não fez isso recentemente;
  • Renda máxima de 3 salários mínimos por pessoa na família (na modalidade convencional);
  • Ter renda familiar acima de 3 salários mínimos por pessoa na família (para o P-FIES, modalidade junto a outras instituições de rede privada);
  • Ter finalizado o ensino médio, seja de modo convencional ou com a ajuda de outros programas.

 

Como estão distribuídas as vagas e como faço pra concorrer?

Sendo divulgação ampla pelo Ministério da Educação no site oficial, estima-se que esse ano sejam fornecidas ao menos 155 mil vagas a diferentes cursos de ensino superior.

Destas, 50 mil serão preenchidas a juros zero, dando preferência a alunos de baixa renda e cotistas.

Para concorrer à elas, é preciso ter feito o ENEM no ano passado e o vestibular da instituição à qual se pretende prestar determinado curso.

Feito isso, se aprovado no vestibular, é necessário entrar no site do FIES para inscrição no programa, criar seu cadastro com CPF e data de nascimento em mãos, além do seu melhor e-mail e número de telefone.

Tendo o login (seu CPF), crie uma senha e digite o código de verificação.

Complete os dados cadastrais no site em seu primeiro acesso, responda o questionário e inscreva você e toda a sua família com CPF e renda bruta.

Depois disso, selecione estado, município, curso e instituição de ensino. Também selecione outras duas opções de curso (caso não passe na primeira) e salve seus dados.

Confirme o processo e revise as informações. Se tudo estiver nos conformes, preencha o formulário adicional e concorde com os termos do FIES.

Agora é só esperar o resultado e saber se conseguiu a sua vaga.

Outra forma de se fazer isso é pelo financiamento privado ligado ao FIES. Se você tem uma conda do Bradesco, Caixa ou Banco do Brasil, pode ter essa oportunidade.

Para isso é preciso pagar a taxa de matrícula e entrar em contato com a tesouraria da instituição onde pretende cursar. Lá, eles darão informações específicas sobre o FIES.

 

E como anda o cronograma do FIES?

Ainda estamos no início do ano e, para bem ou para o mal, nenhuma inscrição em programa governamental está disponível ainda.

Em relação ao FIES, as inscrições começam apenas entre 05 e 12 de fevereiro de 2020!

Para aqueles que planejam fazer o FIES do modo convencional ou junto à instituições privadas (o tal P-FIES), os resultados preliminares saem só dia 26 de fevereiro de 2020.

Os chamados serão convidados a complementar as inscrições entre os dias 27 de fevereiro de 2020 a 02 de março de 2020, para fechar o contrato.

Agora só resta esperar!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.